O que é a clínica ampliada e como ela funciona na prática?

O que é a clínica ampliada e como ela funciona na prática

Levar em consideração o ser humano como um todo, não apenas a doença da qual ele pode estar sofrendo, é o objetivo da clínica ampliada, modelo que vem ganhando adesão tanto em instituições públicas quanto privadas no Brasil.

Nesse modelo, especialistas de diferentes áreas da saúde trabalham em conjunto, e o papel do paciente vai além de receber um diagnóstico e seguir as orientações: ele tem protagonismo ao longo do tratamento. 

Quer saber mais sobre o que é a clínica ampliada, como funciona e quais são os benefícios? Então continue a leitura!

O que é clínica ampliada?

A clínica ampliada é um modelo que valoriza a escuta do paciente, com o médico compreendendo como essa pessoa se sente e discutindo as possibilidades de diagnóstico e de tratamento de maneira conjunta com ele e com outros profissionais de saúde.

A ideia é trazer autonomia e empoderar o paciente, permitindo que ele também participe do processo. Dessa forma, cria-se uma relação mais próxima entre as duas partes, fazendo com que o paciente se comprometa mais com o tratamento. Isso porque a responsabilidade é compartilhada com ele e com as pessoas de seu entorno. Assim, também aumentam as chances de ter sucesso.

O modelo da clínica ampliada baseia-se no conceito de medicina integrativa, que leva em conta não só a saúde do corpo como também a da mente, que é muitas vezes considerada menos importante. 

Na saúde integrada, considera-se conta todas as dimensões do ser humano. Assim, o bem-estar físico, psicológico e social são relevantes, e não só a ausência de patologias. Para isso, são integrados profissionais de saúde de diferentes áreas, com o objetivo de obter o tratamento mais adequado para cada caso. 

Diferença entre a clínica ampliada e o modelo convencional de atenção em saúde

Quais são as diferenças entre a clínica ampliada e o modelo convencional de atenção em saúde?

A clínica ampliada faz um contraponto a um modelo mais tradicional, chamado de modelo biomédico, segundo o qual uma condição humana saudável consiste na ausência de doenças.  Usado por profissionais da saúde no diagnóstico de problemas de saúde desde o século XIX, esse segundo modelo tem como características a centralidade na figura do médico e o foco no diagnóstico e na cura da patologia.

Nesse modelo, o médico prescreve o tratamento, e o papel do paciente é o de seguir as instruções passadas. O método ainda é bastante usado, mas pode ser limitado, já que não leva em conta fatores sociais ou a subjetividade do paciente. Como o foco é o tratamento da doença, a prevenção também é prejudicada.

Na clínica ampliada ocorre o oposto. O profissional da saúde ouve o paciente para investigar,  em conjunto com o médico, os motivos de seu adoecimento. 

Hoje, várias pesquisas já são feitas com o objetivo de entender em profundidade a eficiência dos tratamento integrados. Um exemplo é um estudo publicado National Center for Biotechnology Information (NBC), que observou eficácia do tratamento integrado para aumentar a motivação entre pacientes com ansiedade e/ou depressão, por exemplo.

Na clínica ampliada o profissional da saúde ouve o paciente mesmo que suas queixas pareçam não ter relação com o diagnóstico e com o tratamento. Esse diálogo auxilia o engajamento do paciente.

Como a clínica ampliada funciona na prática?

Quando a clínica é ampliada, os especialistas conversam de maneira profunda com o paciente, abordando não só questões de saúde mas também o seu cotidiano, por exemplo a sua rotina, alimentação, se faz exercícios, com quem convive, dentre outros fatores que podem influenciar o seu estado de saúde.

No tratamento, o médico conta com o auxílio de outros profissionais, como enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, educadores físicos, dentre outros, que ajudam a construir a melhor proposta terapêutica para o paciente.

O plano de tratamento vai além do individual, incluindo também ações a serem realizadas juntamente com a família e com grupos terapêuticos. A ideia não é diminuir a importância do diagnóstico ou do médico, mas sim atuar em conjunto com o paciente e seu entorno, vendo a saúde como um conceito mais amplo.

Dessa forma, dois pacientes com uma mesma doença, por exemplo, hipertensão, podem ser tratados de maneiras distintas, já que vêm de contextos diferentes.

👉 Leia também: Como usar a linguagem da mudança para motivar pacientes em tratamento?

Quais benefícios os médicos e pacientes podem ganhar no modelo de clínica ampliada?

A clínica ampliada é um modelo que se mostra benéfico tanto para pacientes quanto para os profissionais de saúde. 

Para quem procura tratamento, o modelo oferece a possibilidade de melhorar a saúde de maneira geral, e não de curar somente um problema, ignorando o restante. O paciente também está no centro do atendimento, adquirindo autonomia e protagonismo no processo de melhorar sua condição.

Além disso, essa pessoa pode contar com os conhecimentos de diferentes especialistas, garantindo um tratamento mais completo. Uma abordagem mais cordial e humanizada são outros benefícios da clínica ampliada para os pacientes. 

Mas não são só eles que saem ganhando. O médico, por sua vez, pode dialogar com outros profissionais da saúde, trocando informações e tirando dúvidas. Por meio desse diálogo com outros médicos especialistas e também com enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, dentre outros, ele consegue construir o melhor diagnóstico e recomendar o tratamento mais adequado. 

Além disso, com o suporte de alguns recursos tecnológicos, como aplicativos para equipes clínicas, essa troca pode ser feita de qualquer lugar e com segurança. 

Quais benefícios os médicos e pacientes podem ganhar no modelo de clínica ampliada

Como integrar diferentes especialidades no modelo de clínica ampliada?

Clínicas que adotam esse modelo podem usar algumas ferramentas para facilitar o trabalho. Um exemplo é o software de gestão Doctoralia Clínicas, em que os dados de um único paciente podem ser compartilhados entre todos os profissionais do centro médico, contribuindo para que a comunicação seja mais fluida e que todos fiquem a par das etapas de tratamento do paciente.

A ferramenta permite consultar histórico de consultas, emitir atestados e prescrições e fazer atendimento por telemedicina. O prontuário eletrônico mostra a ficha dos pacientes contendo diagnósticos antecedentes, medicamentos usados e resultados de exames, facilitando o acesso pelos profissionais de saúde.

Afinal, o modelo de clínica ampliada vale a pena?

Os benefícios que comentamos no artigo mostram que o modelo de clínica ampliada vale, sim, a pena. Com uma visão integrada da saúde e diversos profissionais trabalhando juntos em prol do melhor diagnóstico e tratamento possíveis para cada pessoa, o resultado é um atendimento humanizado, em que todos — pacientes, profissionais da saúde e o serviço de saúde como um todo — saem ganhando.